Compartilhe este conteúdo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Linux é um sistema operacional. Todo computador, seja um celular, PC, tablet ou mainframe, precisa de um sistema operacional, que é o software que controla a máquina e permite a sua utilização. Para todo computador, quase sempre existem várias opções de sistemas operacionais, por mais que alguns sejam mais conhecidos que outros.

Em celulares, temos iOS, Android, Windows, Symbian e vários outros menores. Para computadores pessoais temos o Windows (com suas várias versões) e milhares de versões de Linux (chamadas de Distribuições ou Distros).
Em 1991, um estudante finlandês chamado Linus Torvalds inicia o desenvolvimento do GNU/Linux, que viria a ser um sistema operacional de alta qualidade e de porte mundial. Seu crescimento e aperfeiçoamento foi veloz e amplo. Uma rede mundial de desenvolvedores trabalhou e ainda trabalha depurando e corrigindo erros e falhas, bem como, incluindo inovações e melhorias.
O Linux, software livre, torna-se um dos maiores exemplos de colaboração na web cuja inteligência coletiva é força motriz para seu permanente desenvolvimento. O sucesso desta ferramenta abre espaço para que outras plataformas colaborativas também alcancem o mesmo patamar como foi o caso do software Wiki que permite a recriação de páginas e a edição de informações tendo na Wikipédia o seu melhor exemplo.

Linux X Windows

A diferença principal entre Windows e Linux é que o primeiro é um software proprietário e licenciado, enquanto o segundo é um software livre de código aberto. Isso quer dizer, simplesmente, que a Microsoft é a única que consegue modificar o Windows, e para você utilizá-lo precisará pagar uma licença. Ninguém pode lançar uma versão “alternativa” do Windows, seria pirataria.
Já o Linux, sendo código aberto, permite que qualquer pessoa faça modificações e lance sua própria versão, independente desta ser melhor ou mesmo útil. O foco está no “direito de fazer”, não na necessidade ou vantagens de se fazer. Além disso, o Linux é livre, e isso quer dizer que qualquer pessoa pode utilizá-lo e redistribuí-lo a vontade, algo impensável para o Windows. Se você gostou, compartilhe com os amigos de graça, essa é a ideia do Linux.
Tecnicamente, como milhões de pessoas no mundo todo tem acesso ao código do Linux, o ritmo de sua evolução é surpreendente, e por isso mesmo (e considerando o contexto de sua origem em mainframes) o Linux é significativamente mais seguro, robusto e flexível do que o Windows. Essas características, aliadas a um trabalho de adaptação para não-técnicos realizados por algumas empresas e comunidades, tornaram o Linux uma ótima opção de sistema operacional hoje em dia, perfeitamente aplicável a 90% dos casos.
O Windows ainda domina porque está a mais tempo no mercado, e já vem instalado em quase todo computador, mas vale a pena explorar o Linux e ver se você gosta ou não. Para começar, recomendamos: www.ubuntu.com. Você só precisa baixar um arquivo e gravar um DVD ou pendrive, e poderá experimentar sem compromisso e sem danificar seu computador.

Consulte

Se inscreva na nossa Newsletter

Fique por dentro de assuntos relacionados a Marca, Comunicação e Vendas

Navegue por outros temas e saiba mais

Veja agora outros posts que podem lhe interessar

Como escolher um produto para e-commerce
E-commerce

Como escolher um produto para vender online

Para muitos que estão planejando iniciar um negócio online e mais especificamente um e-commerce, o aspecto mais difícil de começar é por decidir quais produtos

Quer impulsionar a sua marca?

Fale Conosco