Compartilhe este conteúdo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Em plena Era da Informação ouvimos muito falar em Informação como ferramenta de estratégia para as empresas, e pouco sabemos o que é Inteligência Competitiva. A Inteligência Competitiva (IC), tem por objetivo a produção de informação para a tomada de decisões. A IC é exercida desde 1950 tanto no Japão como na Europa e teve sua origem na atividade de inteligência militar e de Estado, mas foi rapidamente adaptada às necessidades das organizações. No Brasil, a IC inicia-se nos anos 90 liderada por profissionais da informação do Instituto Nacional de Tecnologia (INT), ou seja, longe do meio empresarial, o INT é um órgão público federal, pertencente ao Ministério da Ciência e Tecnologia, mas na última década tem recebido relevância nas empresas brasileiras de grande porte.

A Inteligência Competitiva tem como meta a manutenção ou o aumento da competitividade das organizações a partir da produção de informação acionável de interesse de determinada empresa. Constitui processo informacional proativo e sistemático que visa identificar os personagens e forças que regem as atividades da organização, reduzir o risco e conduzir o tomador de decisão a melhor posicionar-se em seu ambiente.

Ciclo da Inteligência Competitiva

O ciclo da IC se dá em 4 fases: planejamento, coleta, análise e disseminação.

  1. O Planejamento é a etapa de estudo preliminar do problema na qual são estabelecidos os procedimentos necessários.
  2. A coleta é o processo de obtenção de dados que serão transformados em informação.
  3. A análise é a etapa em que a inteligência é gerada.
  4. A disseminação é a última fase do ciclo: consiste na remessa de inteligência formalizada, apresentada de forma lógica e de fácil absorção para o usuário.

Uma confusão comum ocorre entre Inteligência Competitiva e Inteligência de Marketing. A inteligência de marketing tem como processo a produção de informação que colaboram e apoiam as decisões de marketing. Enquanto que a Inteligência Competitiva tem como premissa o auxilio às decisões estratégicas.

Inserções no Mercado

Para ser um profissional da Inteligência Competitiva é necessário uma boa capacidade analítica e gerar hipóteses e perguntas. Em geral, há três níveis de atividades da IC, o gerente, o analista e o coletor de informações. O campo da Inteligência Competitiva no Brasil ainda está em crescimento e para seu fortalecimento e relevância é necessário uma comunidade de profissionais ativos, sérios, proativos e principalmente éticos, para a consolidação da atividade de Inteligência Competitiva contribuindo para o aumento de competitividade das empresas que atuam no Brasil.

Se inscreva na nossa Newsletter

Fique por dentro de assuntos relacionados a Marca, Comunicação e Vendas

Navegue por outros temas e saiba mais

Veja agora outros posts que podem lhe interessar

Texto base para constituição de um E-book | Nautilos Posicionamento Digital
Comunicação e Marketing

Como criar um E-book

Objetivo – ter um material de envio para download O Nautilos orienta que o e-book tenha entre 8 e 20 páginas já considerando capa e

Quer impulsionar a sua marca?

Fale Conosco