A informação é motor do desenvolvimento

Desde o advento e popularização da Internet que o termo Informação tem sido muito citado. Afinal o que é informação? Para uns é elemento que gera conhecimento, para outros matéria-prima para o desenvolvimento de negócios. Independente de definições podemos dizer que informação existe desde o tempo das cavernas. Os desenhos em cavernas eram a informação – e para a época ferramenta moderna. A informação faz parte da história da humanidade e a informação é motor do desenvolvimento.

Apenas percebíamos o valor nas coisas materiais. Mas, se lermos nas entrelinhas foi a informação que revolucionou o mundo. Podemos fazer uma linha do tempo e demonstrar a importância da informação para o mundo.

A Informação gera desenvolvimento

A Revolução Agrícola tem seu marco cerca de 6.000 A.C quando agricultores que haviam sido pioneiros na vida sedentária e no cultivo de cereais, criam ampla variedade de animais domésticos, ovelhas, cabras e gado. Não era uma época fácil, era preciso matar um leão por dia. Perceba que a informação era transmitida de forma lenta, mas os homens sabiam como encontrá-la de forma intuitiva.

No período da Idade Média, cuja agricultura era principal atividade, a informação já adquire uma importância maior com o conhecimento da irrigação, e o esquema de plantações alternadas e com a substituição de bois por cavalos (economia de homens), gerando excedentes agrícolas e as bases para o comércio a distância. E mesmo nas atividades secundárias como pecuária, mineração, produção artesanal e comércio há demonstrações de conhecimento tácito, transmissão da informação e por consequência o surgimento de inventos como o botão e a camisa. O garfo e a faca passam a fazer parte da mesa, principalmente depois da peste negra. Enfim, na Idade Média ocorreram avanços técnicos.

A partir do século XVI até o século XVIII, surge mudanças extraordinárias que estabelecem uma nova percepção de mundo e que ainda se mantém até os dias de hoje. Encurtar distâncias, desvendar a natureza, buscar por novas terras, se aventurar nos mares são algumas das realizações que definem esse período histórico. Isso sem contar que ser amigo do Rei era muito valorizado, por ter acesso a informações reais. De fato, as percepções do tempo e do espaço, antes tão extensas e progressivas, ganharam uma sensação mais intensa e volátil.

Em seguida temos o período da Produção de Massa. A primeira revolução industrial nos últimos 30 anos do Século XVIII caracterizou por novas tecnologias como máquina a vapor, a fiadeira, o processo Cort em metalurgia e, de forma geral, a substituição de ferramentas manuais por máquinas. A segunda Revolução Industrial (1850, século XIX) ocorre com outras invenções mais avançadas: o desenvolvimento da eletricidade, do motor de combustão interna, produtos químicos com base científica, novas tecnologias como o aço, a difusão do telégrafo e a invenção do telefone.

Esses foram momentos fundamentais para o homem e ainda hoje somos beneficiadas por esses avanços. Uma nova relação entre capital e trabalho se desenvolve, a cultura de massa cresce e novas relações entre as nações surgem criando os fundamentos para uma nova sociedade. Alguns episódios ocorridos na primeira metade do século XX foram alicerces para a formação da Sociedade da Informação. Podemos citar a 1ª Guerra Mundial, os Loucos anos 20, a quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque em 1929, o crescimento do fascismo e do nazismo na Europa e por fim a explosão da 2ª Guerra Mundial onde temos o marco inicial da Sociedade da Informação.

A Informação no Século XXI e a Sociedade da Informação

A Sociedade da Informação nasce com o acúmulo de conhecimentos científicos proporcionado pela 2ª Grande Guerra e se sustenta-se com revolução tecnológica dos computadores. A Era da Informação propiciou uma outra lógica econômica. O Tempo e o Espaço tomaram outra dimensão. As novas tecnologias subverteram os conceitos tradicionais: reduziram drasticamente o tempo de execução e tornaram o espaço um item quase “neutro” na atividade econômica.

E chegamos aos dias atuais em que convivemos com uma nova lógica tanto econômica quanto social cujo conhecimento de tecnologias da informação e comunicação se faz essencial. Não nos preocupamos mais em comprar perto de casa e sim comprar onde o serviço/produto melhor atende nossas necessidades. Aprendemos que a informação não é mais produto único. As novas tecnologias de comunicação possibilitaram o acesso a diversas fontes de notícias e opiniões, assim como a socialização da informação.

Somos produtores de conteúdo, repercutimos a informação que desejamos, temos voz para discordar e somos capazes de nos fazer ouvir. Fazemos valer nossas habilidades, competências e nossas atitudes. Essa transformação em Sociedade da Informação ou Sociedade do Conhecimento não foi apenas uma consequência tecnológica. Afetou profundamente a sociedade ao modificar o comportamento do consumidor e por consequência das instituições, causando um impacto não visto desde a Revolução Industrial.

Deixar um comentário

Seu e-mail não ficará visível para os outros.